MENU
16
fev

VAMOS CONVERSAR SOBRE NOSSOS IRMÃOS-REFLEXÕES E ESPAÇO PARA DEBATERMOS

374471_346461138738745_854284057_n

Reflexão sobre o tema irmãos de pessoas com síndrome de down.

A família é nosso primeiro meio social,é onde construímos e nutrimos nossas primeiras relações e também onde iniciamos nosso desenvolvimentodo Eu.

A relação fraternal, que se inicia com o nascimento de um irmão, é uma das relações mais duradouras na vida dos indivíduos. É um relacionamento contínuo que não pode ser suprimido e, como qualquer relacionamento significativo tem suas fases, segue um ciclo de vida próprio, que muda e se desenvolve à medida que os irmãos crescem. De acordo com Volling , esta é uma relação que pode ser marcada por conflitos e rivalidades, mas pode também ser afetiva e íntima. Com os irmãos se aprende a compartilhar e expressar sentimentos, a vivenciar experiências de companheirismo, lealdade e rivalidade

Fato é que os irmãos desempenham um papel importantíssimo em nossas vidas: eles conhecem-nos como ninguém, constituindo nossa primeira relação social, e sua influência inicial afeta-nos durante toda a nossa vida. Geralmente, os relacionamentos que temos com nossos irmãos são os mais duradouros ao longo de nossa vida. O relacionamento entre irmãos e irmãs em que um deles tem uma deficiência assume um novo significado e um novo sentido.

A presença da síndrome de Down num membro da família poderá gerar ansiedade, dúvidas que afetam diversos aspectos da estrutura familiar. Embora cada família seja única, uma experiência com o nascimento de uma criança com síndrome de Down traz a necessidade de adaptação entre os membros da família.
Pelo que converso e leio sobre o assunto os irmãos assim como os demais agentes familiares, passam por processos de questionamentos, aceitação, ambivalência e ressignificação.

Embora os irmãos possam ter preocupações, necessidades e experiências semelhantes, a intensidade e duração dessas experiências variam de pessoa para pessoa. Cada irmão é membro de um sistema familiar único; a influência imediata e futura que a criança que nasceu com síndrome de down terá sobre o irmão ou a irmã depende de uma série de características individuais do sistema familiar.

Penso que não existe uma fórmula ou receita pronta para comunicar aos outros filhos que tem um irmão com down.Dependerá do grau de maturidade dos pais,do grau de informação ,de aceitação e de entendimento.O importante é escutar o coração e procurar fortalecer o vínculo afetivo.Vale ressaltar que o primordial é a atitude dos pais,pois isso irá refletir nas atitudes dos irmãos.Escutar a intuição e agir sem formalismo,a meu ver,pode ser um bom caminho.

Segundo Powell e Ogle ,os irmãos de uma pessoa com deficiência tem pelo menos quatro necessidades básicas.Precisam de informação,respeito,capacidade de relacionar-se com seu irmão,e compartilhar seus sentimentos e experiências.Não se deve esconder informações importantes com relação a deficiência de um irmão.

Todos precisam de:

Informação ,isto é,de uma explicação do porquê uma pessoas se comporta de uma determinada maneira ou tem problema concreto,ainda mais se é o irmão.

Respeito,: os irmãos precisam ser respeitados como indivíduos.Precisam que seus próprios êxitos sejam reconhecidos,assim como suas necessidades.
Desenvolver habilidades específicas para ajudar e se relacionar com seu irmão com deficiência.
Compartilhar seus sentimentos e experiências.Em cada encontro,quando é colocado pelo irmão seus sentimentos e quando compartilham suas experiências como irmãos,há uma elaboração e tomada de consciência tanto das necessidades deles próprios como de seus familiares.

Turnbull apresenta quatro importantes variáveis que delineiam a forma como um indivíduo com deficiência afeta sua família. São elas: 1) as características da deficiência (natureza, severidade e demanda da deficiência); 2) as características da família (tamanho e forma da família, cultura, situação sócio-econômica e localização geográfica); 3) as características individuais dos membros da família (saúde mental e física, capacidade intelectual), e 4) eventuais necessidades especiais da família (casos de abuso, miséria, pais deficientes, etc.).

De acordo com Ogle o sexo, a idade e a ordem do nascimento da criança com síndrome de down também são fatores que afetam a forma como a família e, principalmente, os irmãos enfrentam a presença de uma pessoa com deficiência, o que, conseqüentemente, pode alterar a interação entre eles.

Enfim,cada indivíduo interpreta o mundo com seu olhar.Quanto mais convivermos com a diversidade maior será a probabilidade de entendimento.Eu me transformei com a chegada do meu irmão caçula e dei novos rumos para minha e você?Vamos conversar?Conte sua história aqui.

528895_346462168738642_1681418509_n

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

NEWSLETTER

Assine nossa Newsletter e saiba das novidades da Mano Down

Made by Raw Design